16 de jan de 2013

{FIC} O Maior Idiota do Mundo


Capítulo 22

Eu, particularmente, a achava muito bonita e fofa. Aliás, o Pedro também deve achar. Ri com meus pensamentos.
- Deu pra rir sozinha? - Sophia perguntou sorrindo.
- Ih, ó quem fala. - Dei língua pra ela, prestando atenção em Micael.
- Fala, fala Rayzinha linda. - Mel olhou brava pra ele, que fez um 'espera' pra ela com a mão - Não é verdade que tem um monte de menina de olho no Arthur? E não mente. - Ela brevemente ficou envergonhada, depois sorriu
- Tem... ô se tem. - Ela o encarou e eu fiz uma careta discreta. Mas que coisa! - Muitas doidinhas pra ficar com você. - O sorriso dela era cínico. Que gracinha, também está de olho nele.
- WOW, WOW. - Micael riu, abraçando-a de lado - Valeu Ray. - Olhei pra Pedro que estava meio mau-humorado.
- Vamos entrar? - Fiz um leve carinho em seu braço.
- Vamos. - Ele me deu um selinho e me puxou pelo braço.
Arthur Pov


- Aí ó, ela tá afim de dar uns pegas no nosso menino! - Chay brincou
- Eu gostei dela. - Dei de ombros. Vou parar de fazer isso.
- Chega nela então uai. - Micael falou - Ela deixou bem claro que te curtiu, não deixou? Aproveita mané.
- Ela é bonita. - Sophia admitiu.
- Chegar nela? - Gargalhei - Olha pra mim e vê se eu tenho coragem.
- Você tinha coragem de chegar na Lua e levar um monte de patada, não tinha? Agora dizer pra mim que nao tem coragem de chegar em uma menina que tá toda afim de você é brincadeira. - Chay bufou. Eu ainda estava meio enciumado pela cena que tinha acabado de ver. Quer dizer, a Lua já estava em outra e ninguém me falava absolutamente nada? Ainda mais com o Pedro, que era todo gente boa. É, eles não aparentavam ser grude, já que tinham só dado um selinho e conversavam normalmente. Sem apelidinhos nem coisinhas melosas e blá blá blá. 
- Tá, vocês querem tanto assim que eu dê uns pegas nela? - Fiquei bravo. Mel não estava participando da conversa. Estranho. - Eu fico, pronto, tá tudo resolvido! - Revirei os olhos.
- Esse é o novo Arthur! - Sorriu - *Pegador do meio-dia! - Todos gargalharam.


*Não sei se lembram, mas na primeira temporada da novela o Diego fala 'Sou grande, sou forte, sou o vampiro da meia-noite' Acho que é algo mais ou menos assim... Enfim, a piadinha foi fail mas não ia deixar passar! haha

- Ah, vá se ferrar seu merda. Esse é o Arthur de sempre, que tá afim de ficar com ela. Tem algum problema?
- Nã...
- Não, então pronto, fui! - Ri cinicamente e ele ficou com cara de tacho, os outros riam também. Felizmente ela estava sozinha, mexendo no celular. Me sentei ao seu lado sorrindo.
- Oi! - Ela desviou sua atenção do celular, olhando diretamente nos meus olhos. Fiquei meio tenso, mas tudo melhorou quando ela sorriu.
- Oi. Você tá bem? Tá meio pálido.. - Fez uma careta.
- Ér... - Cocei a nuca - Eu tô bem. Perfeitamente bem. Nunca estive melhor! - Por que eu tinha que ser tão bobo quando ia tentar flertar com uma menina? Isso mesmo, tentar, porque nunca dava certo.
- Que bom, né? - Gargalhou - À que devo sua humilde presença?
- Como? - Franzi o cenho.
- Ué, você virou o assunto do colégio não é? - Foi a minha vez de gargalhar
- Talvez tenha, mas eu não ligo.
- Não liga mesmo? - Fiquei em silêncio uns minutos, apenas a fitando.
- Não. Acho que outras coisas tem mais importância. - Ela parou de sorrir e ficou me olhando séria. Wow, que isso Aguiar? Rayanna ia abrir a boca pra falar alguma coisa, mas no mesmo instante o sinal bateu. Isso pareceu alivia-la.
- Bom... agora é aula, né? Adorei conversar com você. - Levantou-se me olhando, eu fiz o mesmo.
- Foi ótimo. Boa aula. - Sorriu largamente, dando as costas. Se tudo der certo...
Tive que aguentar o resto das aulas inteiras os meninos me zoando. Nem Rayanna e nem Pedro são da mesma sala que a nossa, mas se fossem, eu certamente estaria morrendo de vergonha e de raiva ao mesmo tempo. Quando o sinal tocou eu saí da sala, varrendo os olhos por todos os lugares à procura dela. Parei na frente do lado de uma árvore, encostando nela e esperando por quem quer que aparecesse primeiro. Tive meus olhos tapados e fiz uma careta meio sorriso.
- Esperando por alguém?
- Estou. Mas eu já sei quem é... Pode parar de brincar comigo, Ray. - Tirei suas mãos de meus olhos, virando para olha-la
- Assim não tem graça. - Revirou os olhos.
- O que? - Estreitei os olhos.
- Sem brincadeiras... Fica tudo um pouco sem graça, não é? - A cara de inocente que ela fazia não iria me convencer. Mas não mesmo. Eu não sou tão bobo assim, sou?
- Sério que você pensa assim? Talvez ir direto ao ponto as vezes seja bom... - Fiz uma cara de dúvida.
- Tá legal, sem enrolação então. - Sorriu. E eu só me dei conta do que estávamos falando quando ela grudou seus lábios nos meus. Fiquei meio surpreso no começo, mas depois me toquei. Coloquei as mãos na sua cintura e a trouxe mais pra perto, aprofundando o beijo. Depois de um tempo, ficamos sem ar e nos separamos.
- Wow... - Ela suspirou, passando a mão pelos lábios vermelhos. Olhei pra trás dela e os meninos e as meninas riam olhando pra gente. Ray estava completamente vermelha e saiu de lá sem dizer nada. Fui até eles.
Creditos: Vanessa Aguiar

Quero Muitos Comentários 

7 comentários: