16 de abr de 2013

{FIC} 4ever


Capítulo 2


Era o grande dia da batalha das bandas. Chay suava como um porco, Harry gaguejava e Arthur e Micael não conseguiam sair do banheiro.
– Calma, gente! Vai dar tudo certo! – Lua dizia, sem saber o que fazer para acalmar o meninos.
– Fala isso pro meu estômago! – gritou Arthur do banheiro.
– Então avisa pra ele que vocês entram no palco em dez minutos – disse Sophia.
– AH, MEU DEUS! Abre a porta, Micael! – gritou Harry com a mão na boca, parecia que ia vomitar.
– Se vocês não se acalmarem, vão perder pro Simple Plan! – disse Lua, já estressada com o nervosismo dos garotos.
Houve um silêncio, até começar um barulho de soluço incontrolável vindo do banheiro onde Arthur estava.
 Aguiar! Se você não parar de soluçar, você não vai se apresentar! – berrou Chay todo suado.
– Tô pronto! – disse Micael, saindo do banheiro, deixando Harry com a cabeça na privada.
 Harry! Arthur! Cinco minutos! Saiam já daí!
Os meninos saíram e foram em direção ao palco.
– Hey, se a gente estragar tudo, vocês vão continuar sendo nossas fãs, não é? – perguntou Micael nervoso.
– Pára com isso! Vocês não vão estragar nada – respondeu Sophia com um sorriso.
– VAMOS LÁ, DUDES! – gritava Chay animado.
 
Why is the sky so clear today? [Por que o céu está tão limpo hoje?] – perguntou Harry.
– Because God wants to see his favorite band again! [Porque Deus quer ver sua banda preferida de novo!] – respondeu Arthur.
– Green Day comanda! – todos gritaram juntos.

Os meninos entraram no palco, chamando atenção de todos que estavam no lugar. Era incrível o jeito que Arthur tocava. Ou melhor, 
ele era incrível. Isso não saia da cabeça de Lua. Eles tocaram We Are The Young, Hypnotised e All About You. E no final no show, Chay chegou no microfone e gritou:
 
It's all about you, babe! – Ele apontando para
 Sophia, que mostrou um sorriso amoroso para o garoto, que retribuiu com uma piscadela.
– Ouuuuh! Não rouba minha letra, não, seu safadenho! – disse Arthur rindo.
Micael ficou roxo de ciúmes.
Os meninos saíram do palco e foram falar com as garotas.
– E aí, o que acharam do show? – perguntou Harry com um sorriso irresistível.
– Foi demaaaais! Tinha até umas groupies aqui do lado com falta de ar! – comentou Lua rindo.
– Ahh, vai dizer que você também não ficou! – disse Arthur, com um sorrisinho de vitorioso.
– Vai pastar, Aguiar! – falou Luh rindo.
– O show teria sido perfeito se não fosse pela palhaçada do Chay no final – disse Micael com ciúmes.
– Me desculpe se eu sou romântico e tem uma gatinha delirando por mim na platéia! – falou Chay, segurando a cintura de Sophia e dando um beijo estalado na sua bochecha.
Agora era a vez do Simple Plan se apresentar. “Nossa, eles são bons mesmo” pensou Lua. Os McGuys assistiam ao show aflitos.Tinham medo de perder mais uma vez por aqueles losers sujos.
– Vocês foram bem melhor – disse Lua no final da apresentação do Simple Plan.
– Claro que fomos! Somos muito mais gostosos! – brincou Chay, fazendo a dança da bundinha com Arthur. Todos riram.
– Ai, Chay, sua bunda é tão gostosa, xuxú! – disse Arthur, fazendo voz afeminada.
– Ai, querida, nem se compara com o seu peitoral musculoso minha gata sarada! – falou Chay, fazendo voz de machão.
– Haha! Só podia ser os McGays! – disse Pierre, vocalista do Simple Plan.
– Enfia o dedo no cu e cheira, beesha! – reclamou Harry estressado.
– Não entendo como um bando de idiotas podem ser tão bem acompanhados – falou David, olhando para Lua e Sophia.
– As meninas não resistem a minha bunda gostosa! – disse Arthur, virando-se e dando um tapinha na sua própria bunda. Todos caíram na gargalhada, menos os caras do Simple Plan.
– Mas e aí, gata, gostou do show? – perguntou Sebastien, aproximando-se de Lua e a pegando pela cintura.
– Ouuuuu! Pode desgrudar, urubu! – reclamou Lua, jogando-o para longe.
– Parece que a gente já sabe quem as meninas preferem! – Arthur riu.
Os meninos do Simple Plan saíram, nem falaram mais nada.
– Olha o filé que se aproxima! – disse Chay.
– Mais respeito, seu infeliz! – falou Sophia, dando tapinhas no braço dele, que estava a segurando.
– E a gatinha tem numero? – perguntou Micael para a menina, usando uma cantada que nunca usava.
– E aí, Micael! Não tá me reconhecendo? – disse a menina rindo.
Micael olhou bem para o rosto da menina.
 Melanie! – O menino fez cara de assustado.
– Não me reconheceu, não? – perguntou Melanie sorrindo.
– Ah, baixinha, vem me dar um abraço! – disse Micael, com saudades da menina.
– Não vai apresentar, não, Micael? – perguntou Lua.
– Ah, claro! Gente essa é a Melanie, minha prima, a gente não se via a um tempão! – ele disse, contemplando a beleza de Melanie.
– É mesmo! A gente não se vê desde... aquele verão! – falou Melanie, corando junto a Micael.
– Mas então, tá fazendo o que aqui? – ele perguntou animado.
– Meus pais se mudaram pra cá, nem sabiam que você estudava nessa escola. Acho melhor não saberem, né? – comentou Melanie, sorrindo.
– Sem querer interromper os pombinhos, mas já vão anunciar os vencedores! – disse Arthur.
Todos se aproximaram do palco. Sophia segurou a mão de Chay, que estava aflito. Ela também não estava muito bem. Não sabia o motivo, mas tinha ficado com ciúmes do Micael com aquela loira de farmácia. Arthur começou a suar e soluçar.
– Calma, Arthur! Você vai ter um treco se continuar assim! – Lua disse sorrindo.
Arthur retribuiu o sorriso, mas estava tão nervoso que nenhuma palavra saia da sua boca. Para uma banda sem sucesso como a deles, aquele prêmio era muito importante.
– E o terceiro lugar vai para... Son of Dork! Parabéns, garotos!
Todos aplaudiram . Os McGuys ficaram ainda mais tensos. Son Of Dork era, na opinião, deles a melhor banda do colégio.
– E o segundo lugar vai para... Simple Plan!
– O primeiro lugar é de vocês – Sophia sussurrou no ouvido de Chay.
– E, finalmente, o primeiro lugar vai para... TCHRÃM ... MCFLY!
Os meninos enlouqueceram. Começaram a pular e gritar de tanta felicidade. Arthur pegou Lua no colo do mesmo jeito que se pega uma noiva. Ela começou a rir da agitação dele.
– Nós ganhamos, dude! Nós ganhamooooooooos! – Ele começou a gritar de felicidade e Lua ria do jeito feliz do garoto.
– Parabéns, Arthur! Mas agora me bota no chão! – ela gritou rindo.
– Não, você vai lá em cima do palco comigo receber o prêmio!
– Não, Arthur! Que vergonha! Me larga! – Ela continuou tentando convencer Arthur sem sucesso.
Enquanto isso, Sophia e Chay estavam se beijando intensamente.
– Venham pegar o troféu de vocês, meninos! – exclamou o coordenador.
Micael estava tão feliz com o prêmio e com a vinda da prima que nem se sentiu incomodado pelo beijo de Chay e Sophia.
Harry subiu e pegou o microfone.
– Festa daqui a uma hora na minha casa aqui do lado, dudes! Tá todo mundo convidado! – exclamou Harry, cumprindo a promessa que fez de que se ganhasse, faria a melhor festa do ano.
Arthur começou a subir as escadas que davam ao palco.
 Arthur, me larga, seu idiota!
– Aaaah, agora quero que você peça desculpas – disse Arthur, tentando parecer magoado.
– Me larga logo!
– Pede desculpas, mocinha!
– Tá, desculpa, mããããããããe!
– Tá bom, mas só porque eu sou bonzinho – Arthur disse rindo.

Todos foram para a casa de Harry.
– Me dá isso agora, Micael! – resmungou Lua.
A festa tinha começado há umas cinco horas, todos já estavam um tanto... “alterados”, graças às bebidas.
– Naaaaouuu! Cê tá muuuuh into da b-bebum! – respondeu Micael, virando a garrafa de vodka na sua boca.
– Deixa de ser mão de vaca, Borges! Me dá isso!
– Calma, Luh! Você tá muito nervosa! – falou Harry rindo. – Você precisa esfriar a cabeça, xuxú! Vem, Micael, me ajuda aqui.
– Heeeey! Os dois me larguem! O que vocês pensam que tão fazendo? – interrogou Lua, já sabendo a resposta.
Estava a balançando na frente da piscina, Micael segurando seus pés e Harry seus braços.
– Não! Não! Me bota no chão! – ela gritou, olhando para a água da piscina.
– Quer que eu te largue? – perguntou Micael.
– Quero!
– Beleza, então! – respondeu Harry, que, junto a Micael, atirarou a menina na piscina.
Lua deu um grito e os garotos começaram a rir. Micael foi se abaixar para falar com ela e foi surpreendido pela mão da garota o puxando. Não era difícil puxá-lo para dentro da piscina quando ele está assim tão “sóbrio”.
– Todos pra piscina! – alguém gritou eufórico.
A piscina encheu de gente e Lua começou a se perguntar onde andava Sophia, quando se deparou com Arthur bêbado ao seu lado.
 Aguiar! Viu a Soph?
– Que Soph? Não conheço nenhuma!
Claro que não podia conhecer, estava tão bêbado que não esperava ele mostrar inteligência alguma.
– Tá louco, Arthur? Mergulha a cabeça na água gelada, dude! - Lua pegou o nariz do garoto e mergulhou a cabeça dele na água rindo.
– Tô brincando contigo! Não a vi, não, e nem o Chay. O garoto desapareceu já faz uma hora.
– Briga de galooooooo! – gritou Harry bêbado, tentando colocar Lua nas suas costas.
– Deixa de ser frouxo, Harry, e dá a garota aqui! – disse Arthur, fazendo Lua subir nas suas costas.
Todas as meninas que estavam na piscina estavam nas costas dos meninos.
– Quem vai ser a vítima, Luh? – perguntou Arthur, com risadinha maléfica.
– A putinha da priminha do Micael! – Ela riu. Não havia gostado do tom loiro de farmácia de Melanie.
– Boa! Quebre-a! – Ele também riu.

Enquanto isso, no quarto de Harry...
– Acho que eu bebi demais – disse Sophia tonta.
– A bebida entra e a verdade sai, gata! – exclamou Chay, chegando mais próximo do corpo de Sophia.
Os dois estavam sozinhos no quarto de Harry.
– Quer dizer o que com isso?
– Eu quero você pra mim – respondeu Chay, cerrando seus lábios nos de Sophia.
– E eu quero você – sussurrou Sophia no ouvido de Chay.
Chay levantou os braços para Sophia tirar sua blusa e ele fez o mesmo. Os dois estavam só com as roupas de baixo quando se atiraram na cama de casal que Harry tinha em seu quarto.
– Como você é gostoso!
– Ainda não viu nada, chèrrie.

Duas horas depois, Sophia e Chay desceram para o jardim da casa de Harry. Eles, por mais bêbados que estavam, ainda eram os mais sóbrios da festa. E os únicos secos.
– Por onde você andou, xuxú? Te procurei festa inteira! – disse Lua para Sophia. Além de bêbada, estava encharcada.
– Ah, eu tava com o Chay – respondeu a amiga sem graça.
– Pó, Sophia, se o Harry souber que você fudeu o Chay na cama dele, ele vai ficar furioso! – falou Arthur, deitado no colo de Lua, sentada numa cadeira de tomar sol. Sophia ficou vermelha.
– Pára de delirar, seu bêbado! – respondeu Sophia sem jeito.
 Arthur, como você é nojento! – exclamou Lua.
– Qual foi? O que você acha que um menino e uma menina fazem quando tão sozinhos? Ficam brincando de médico, ué!
– Pára com isso, seu ogro!
Nesse instante, Micael chegou agarrado na sua prima Melanie.
– Que nojo, Borges! Fica agarrando a própria prima, seu tarado!–Sophia não sabia por que, mas sentiu uma pontinha de ciúmes.
– Tá com inveja, flooour? – interrogou Melanie, beijando Micael.
– Deixa de ser puta, sua loira de farmacia! – Lua decidiu defender a amiga.
– Ser gostosa é só pra quem pode. Mas fica tranqüila, hoje em dia, os cirurgiões dão um jeito até nessa sua cara deformada.
– Perdeu a noção do perigo? Você acaba de ganhar seu atestado de óbito!
Lua se foi para cima da menina e deu um tapa na cara, que deixou Melanie vermelha. Melanie foi pra cima de Lua, mas foi segurada pelo primo, enquanto Arthur segurava Lua.
– Qual o problema de vocês? – perguntou Arthur.
– Pergunta pra essa siliconizada! – respondeu Lua.
Melanie se soltou dos braços de Micael e foi para cima de Lua.
– Segura sua prima, Borges! – gritou Arthur.
– Não precisa, não, Aguiar! Deixa isso comigo – disse Sophia, dando um chute nos peitos de Melanie. – Viu? Sabia que era silicone!
– Boa, Abrahao! – Lua riu.
Arthur não segurou o riso e acabou rindo também, enquanto afastava Lua de perto da siliconizada.
– Eu, hein?! Vocês, meninas... francamente!
– Ela mereceu!
– Só porque ela mereceu você não precisa descer no nível dela, sua tonta!
– Você não tinha nada que ter me segurado, Arthur!
– Te segurei pra você não se machucar!
– Acha mesmo que aquela cadela ia encostar uma unha postiça das que ela tava usando?
– Pronto, você já a humilhou com o tapa na cara, não presisa descer mais o nível!
– Não enche, Aguiar! – Lua saiu andando brava com Arthur.
– Ótimo, da próxima vez eu te deixo levar porrada! Menina problemática, hein?! – disse Arthur estressado. 

 

4 comentários: