5 de jan de 2013

{FIC} O Maior Idiota do Mundo


Capítulo 11


eu havia entendido e não iria mais me aproximar de Lua quando ele começou a me dar socos no estômago. Seus amigos riam e me seguravam, enquanto eu soltava mais gemidos de dor, completamente incapaz de formular uma palavra. Quando ele me socou um pouco mais forte, tossi, segurando a barriga e cuspindo um pouco de sangue.
Minha visão estava embaçada, mas mesmo assim pude ver pessoas se aglomerando ao nosso redor, incentivando Jordan a continuar minha tortura com chutes e xingamentos. Gemi mais uma vez de dor, vendo uma menina loira - que imaginei ser Sophia, e logo ao seu lado Chay - abrindo passagem no meio da multidão.
- Podem vazar daqui antes que eu quebre a cara dos dois! - Chay gritou, olhando para os caras que estavam me segurando. Sophia olhou diretamente para Jordan e eu pisquei várias vezes, melhorando minha visão. Ela não podia estar fazendo isso. Eu queria gritar que não, ela não podia fazer isso mas não conseguia me levantar.
- Olha aqui, seu vagabundo - Apontou o dedo em sua cara. Os cochichos pararam e todos prestavam atenção nela, que não parecia estar intimidada com o tamanho do garoto à sua frente - É tão fracote que tem que chamar os maricas pra segurar o Arthur, né?
- O que que é, garota? Não enche o saco, é bonitinha demais pra apanhar de mim - Segurou seu rosto, a olhando com malícia. Ela bateu em sua mão, fechando os punhos. Chay se posicionou na frente dela
- Olha aqui, mais respeito com ela tá me ouvindo? - Ele pareceu lhe ignorar, prestando atenção em Sophia. Ela puxou Chay pro lado, ficando cara-a-cara com Jordan, que a olhava com certo interesse.
- Você se acha O BOM, né? Sempre querendo tirar onda com a cara de todo mundo, se aproveitando das menininhas... Te enxerga, coisa feia. O Arthur tem um coração, não pode nem ser comparado com uma pessoa com você. Você me da nojo. - Cuspiu nele e eu iria rir, se ele não tivesse agarrado seu braço com força.
- Você tá se achando a tal, né loirinha? Merecia uns bons tapas pra aprender a se comportar. - Chay o empurrou, ficando novamente na frente de Sophia
- Cala tua boca se não quiser apanhar. Não quero saber de tu com gracinha pro lado dela não, tá me ouvindo? Vem Sophia, vamos levar o Arthur embora. - Chamou-a.
- Vamos sim. Mas não sem antes eu deixar minha marca. - Sophia cerrou os punhos e eu mal acreditei no que veio a seguir. Ela deu um soco em Jordan, que soltou um gemidinho de dor.
- E QUE FIQUE CLARO, QUE EU NÃO SOU UMA DAS SUAS VADIAS PRA VOCÊ QUERER ME TRATAR DESSE JEITO, ENTENDEU? PASSAR MUITO MAL. - Gritou, deixando todos de olhos arregalados. Logo os cochichos voltaram a rolar e os dois vieram até mim.
- Você está bem? Ele te machucou muito? - Sophia veio pra cima de mim cheia de perguntas.
- Machucou sim, mas vai ficar tudo bem... - Tentei sorrir mas estava sem forças. Meu corpo inteiro doía.
- Eu não acredito que ele vai fazer isso e ficar impune! - Ela disse, olhando pra Chay. Ele parecia inquieto.
- Mas não vai mesmo. Não vou permitir. - Saiu andando na direção da diretoria, ignorando os gritos de Sophia. A mesma me puxou pela mão, fazendo com que fosse obrigado a apoiar meu peso nela e andar até um banco não muito longe dali.
Não demorou muito tempo e pudemos avistar um Chay ofegante ao lado da diretora. Ele conversava com ela e a mesma fazia uma cara de preocupada. Vieram até nós.
- Te machucaram muito, Arthur? - Perguntou, assenti imediatamente. - Jordan já passou dos limites. Ele já é um aluno que causa muitos problemas, mas nunca havia brigado aqui dentro. - Passou a mão pelos cabelos. - Vou tomar as devidas providências.
- Obrigada, diretora. Aliás, qualquer coisa que ele inventar, pode ter certeza que é mentira. Eu lhe dou minha palavra. - Sorriu, e ela lhe devolveu o sorriso, saindo de perto de nós.
- Chamar a diretora, Chay? - Sophia o olhava meio incrédula, mas tinha um brilho especial nos olhos.
- É... E te safei ainda, hein! Agradeça que eu tenho um ótimo papo e sei convencer as pessoas. - Ela riu, me puxando delicadamente pelo braço.
- Vamos embora cuidar do mocinho aqui. Você tá bem? Juro que faço uma panela de brigadeiro pra você. - Ri fraquinho quando Chay fez uma careta.
- Tudo bem, tudo bem. O que eu mais quero agora é descansar... E esquecer. - acrescentei quando cruzamos os portões do colégio em direção à minha casa.
Creditos: Vanessa Aguiar

6 comentários:

  1. A web está ficando muito legal! Espero que o Arthur comece a ignorar a Lua, ia ser bem legal, ai ela começa a sentir algo por ele, sl ahaha

    ResponderExcluir
  2. +++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

    ResponderExcluir